(82) 99981-7828| (82) 4101-1959

Notícias //

COMO SUPERAR UM MOMENTO DE CRISE

Por Marcio Roberto Andrade

30/03/2017 | 13:45

Ao enfrentar uma crise empresarial, a organização enfrenta diversos obstáculos e o trabalho de um bom gestor é fundamental para a superação.

Como sair da crise financeira: passo a passo

Antes de partir para medidas práticas para driblar a crise na empresa, é preciso admitir o problema. Por mais óbvio que seja, não custa repetir: quem não se reconhece em meio à dificuldade, não pode identificar suas causas e enfrentar suas consequências. Confira passo a passo como sair da crise financeira, elabore seu planejamento e coloque sua estratégia em ação com foco e disciplina.

Passo 1: Identifique as causas

Em um cenário de crise, a identificação das causas é fundamental, pois só assim você poderá combater o mal na raiz, eliminando uma possível fonte de desperdício, que é por onde o capital da empresa vem escapando.

Se você usa um sistema de gestão, tem mais facilidade para obter relatórios e extrair informações sobre a situação da empresa. Mas se ainda não profissionalizou essa área do negócio, pode começar até mesmo pela boa e velha planilha, na qual irá lançar todas as receitas e despesas.

Algumas das possíveis causas para a crise:

  • Baixo faturamento
  • Falta de recursos para atender aos compromissos financeiros
  • Dificuldade de manter ou aumentar o prazo de pagamento dos fornecedores
  • Indicadores em queda (em empresas que trabalham com eles)
  • Metas não atingidas.

Passo 2: Avalie as alternativas

As alternativas para enfrentar a dificuldade financeira na empresa variam conforme o problema em curso e também de acordo com a atividade desenvolvida, pois nem todas elas se aplicam da mesma maneira a qualquer ramo da economia.

Mas há algumas medidas comuns que beneficiam pequenos negócios em crise. O empreendedor precisa avaliar a possibilidade de:

  • Encolher o tamanho da empresa
  • Diversificar o mix de produtos ou serviços oferecidos
  • Expandir para outras localidades, estados ou até mesmo países
  • Mudar para outro ramo de negócios
  • Fechar a empresa.

Veja que entre as cinco opções, há medidas extremas, como investir no crescimento da empresa ou mesmo encerrar suas operações. E por que isso acontece?

Uma análise do que o negócio produz e do que pode vir a produzir em termos de capital é que irá definir os rumos a adotar. Ao final dela, por exemplo, o empreendedor pode identificar que não há como sair da crise e que mudar de ramo ou fechar a empresa é a única opção para evitar um prejuízo maior.

Ao mesmo tempo, pode encontrar uma realidade totalmente oposta, identificando que a solução passa por um maior sacrifício financeiro, talvez consumado com a busca de crédito, traçando um planejamento estratégico com metas de crescimento.

Passo 3: Reveja estratégias, ajuste o planejamento

Você identificou as causas da crise, analisou as alternativas e já sabe qual o melhor caminho para a empresa. Agora, precisa traçar a sua estratégia para a recuperação financeira, que tende a ser bastante diferente daquela elaborada na fase embrionária do negócio, quando o otimismo costuma predominar, deixando os potenciais problemas em segundo plano.

Diante da crise, o empreendedor deve analisar friamente como chegou até essa situação e, a partir daí, redefinir seu plano de negócios. Para esse objetivo, listamos as quatro principais ações:

  • Estipular metas possíveis, em consonância com a realidade do mercado
  • Monitorar se o plano de negócios está sendo seguido - caso contrário, redirecionar as ações
  • Verificar se o plano de marketing está atingindo seu público-alvo
  • Rever as condições de vendas e de compras, adequando-as à realidade do mercado.

Avalie como encaixar essas medidas de forma a atender à alternativa escolhida no passo 2 como a que melhor se adapta ao seu negócio.

Passo 4: Construa e execute um plano de ação

Até mesmo para fechar as portas da empresa você precisa de planejamento, mas vamos a uma visão mais otimista: para retomar o crescimento e sair do vermelho, o seu plano de negócios será adequado, transformando-se em um plano de recuperação financeira.

Esse plano é baseado nas causas que o trouxeram para o atual cenário desfavorável. Essa fase é delicada e exige atenção redobrada para que a execução ocorra conforme o previsto. Para isso, não deixe de seguir estas quatro dicas:

  • Estruture um plano de recuperação
  • Monitore a execução do plano e não o abandone ao primeiro sinal positivo
  • Conte com profissionais competentes e habilitados para elaborar e monitorar seu plano
  • Caso não disponha de pessoal específico, terceirize - isso não é um custo, mas um investimento.

Passo 5: Mantenha o controle financeiro

Então, esse derradeiro passo na sua recuperação financeira é objetivo: não pense em abandonar o controle financeiro assim que finalmente voltar ao azul. Ao contrário, a dica é implantar meios de gestão ainda mais severos. Você não vai querer voltar a se afogar.

Considerações finais

Neste artigo, você acompanhou um passo a passo para sair da crise: identificar causas, avaliar alternativas, rever estratégias, executar um plano de ação e manter o controle sobre as finanças. Acreditamos que, com essas dicas, você tem o que precisa para vencer a dificuldade e sair do vermelho.

É importante lembrar que uma boa gestão se faz necessária para que a empresa se mantenha atuante no mercado, mesmo em momentos de crise. Isso porque, quando a situação aperta, os colaboradores temem por seus empregos e a empresa se preocupa com a perda financeira. Para que toda a situação não resulte em mais problemas, é essencial que o gestor assuma um papel de liderança efetiva, tomando decisões assertivas.

O líder deve ter conhecimento sobre as questões em que a crise se envolve, de modo a ser capaz de desenvolver estratégias e adaptar a empresa no novo contexto em que ela se encontra. Ao enfrentar uma crise, o gestor deve rever os planos da empresa e, por meio da elaboração de novas estratégias, projetar o futuro da organização.

É fundamental que os stakeholders (colaboradores, investidores, fornecedores e consumidor final) e demais interessados, sejam informados sobre o problema, bem como as ações para solucioná-lo. Essas medidas garantem comunicação clara e serão o norte para que a imagem da empresa não seja ainda mais prejudicada, além de garantir o alinhamento de soluções para todos estes públicos.

IMPRIMIR